Apesar de todos os transtornos que tivemos que passar nos aeroportos de Congonhas e Guarulhos em São Paulo. Apesar da pouca quantidade de participantes do evento. Apesar da ausência de um dos preletores. Apesar de todos os problemas e percalços que tivemos que enfrentar para participarmos da 6º Consulta Nacional de Evangelismo Universitário no IBAD/SP, uma coisa é certa: O evento foi uma benção!

Em eventos desta natureza é comum que o assunto gire em torno de técnicas, métodos e estratégias de evangelismo e meios de defesa da fé cristã. Nesta 6ª Consulta, contrariamente, ficou patente o agir de Deus em nosso meio, tanto por meio da ministração dos palestrantes quanto pela utilização sobrenatural de seus vasos.
Num momento em que o padrão são os mega eventos e reuniões em que o principal foco são os super preletores e pastores, essa consulta da APF no IBAD transcorreu com contornos de simplicidade e humildade, sem muita burocracia e formalidades. Deus agiu da forma que lhe convinha e falou aquilo que precisávamos ouvir.

Em verdade, a benção do evento começa como os vasos de Deus Pr. John Koeshall e Dave Ellis, humildes servos que pregaram a Palavra de uma forma que eu particularmente não estava acostumado. Sem rodeios ou demonstração de conhecimentos teológicos, esses homens de Deus prenderem a minha atenção com a comprovação de que vivem integralmente para a glória do Reino, e fazem a obra com um prazer que é notório em suas faces.

Tive a oportunidade de presenciar a chegada de John e Dave na quinta-feira à noite no IBAD. Após um longo período de viagem lá estavam aqueles dois homens. Apesar de cansados demonstram ânimo e força como de jovens garotos. Não perguntam pelos dirigentes do IBAD ou por qualquer outra pessoa de renome. Simplesmente estão ali para fazerem a obra de Deus. Conversam conosco com um sorriso envolvente estampado em seus rostos. Não indagam sobre a quantidade de pessoas que participarão do evento. Não fazem exigências. Não pedem nada. Simplesmente estão ali para fazer a obra!

Naquela noite fui dormir pensando na humildade daqueles homens. Eu que já ouvira dezenas de histórias de preletores que reclamam do nível do hotel em que serão hospedado, deparo-me com esses dois personagem, vindo de outros países, bem sucedidos em seus ministérios, e que, apesar de tudo isso, são fiéis à humildade que o evangelho requer. Como diria alguém: São cristãos bem resolvidos espiritualmente, e portanto, não precisam de bajulações.

No decorrer do evento, então, fomos percebendo como esses homens são verdadeiramente servos de orelha furada, obreiros incondicionais. O John com aquele sorriso de criança e o Dave com a postura de paizão conquistou por completo nosso corações.

Que dizer ainda da irmã Lídia Fernandes. Uma palavra que sai da sua boca é suficiente para sentirmos a presença do Espírito Santo de Deus. Em verdade, não me recordo de tê-la ouvido falar de outra coisa senão sobre Bíblia e vida cristã. Já no café da manhã lá estava ela contando suas experiências com Deus e fazendo-nos "arrepiar" com a presença de Deus em sua vida, mesmo que em sotaque português (Risos).- Estão a me entender?

Edson Talarico é outro que não pode ser esquecido. O capelão da APF (o cargo de capelão sou eu quem estou dando pois ele merece). Em suas falas ele tem a capacidade de conjugar conhecimento bíblico com conhecimento secular. Em nossos cafés teológicos eu sempre perdia a hora, pois, ao ouvir o Edson a hora passava de uma forma tal que nem percebia.

Não posso deixar de mencionar também a atuação do Jossy Soares, que apesar de todas as dificuldades familiares sempre esteve atuante para a realização deste evento. Parabéns Jossy!

ra mim, o que ficou notório nessa 6º consulta é a necessidade da evangelização universitária. Mas não aquela evangelização simplesmente intelectual, pois, apesar de sabermos da sua importância, e de estudarmos sobre o assunto, a anunciação das boas novas no campus deve estar entrelaçado com a atuação sobrenatural do Espírito Santo de Deus, pois é ele quem convence o homem do pecado, da justiça e do juízo.

Particularmente, após essa consulta fiz uma reavaliação do que realmente compreendia como sendo evangelismo universitário. Concluí que minha concepção estava equivocada. Até então pensava no evangelismo estudantil somente como sinônimo de debate intelectual sobre cosmovisões. Obviamente que devemos estar preparados para responder a todos quantos pedirem acerca da razão da nossa esperança, no entanto, não podemos nos esquecer de que o evangelho é poder de Deus para salvação de todo aquele que crê. Com isso, quero dizer que não podemos nos esquecer do evangelho simples da Bíblia Sagrada: Jesus salva, liberta, cura e transforma o pecador. Não podemos esquecer que em nossas universidades existem milhares de pessoas com sérias dificuldades familiares, sem rumo e sem direção. Pessoas que estão fazias, famintas da Palavra e que precisam de Deus em suas vidas. É exatamente esse evangelho que fui despertado a pregar após essa consulta.
Que Deus nos abençoe.

Continuemos essa obra, mas agora, como muito mais ânimo e responsabilidade.

Depoimento do Pb. Valmir Nascimento,
participante debatente da 6ª Consulta